quinta-feira, 22 de janeiro de 2015

Lição 4 - Sabedoria Divina, por Daniel Peters



Para 17 a 24 de janeiro de 2015


Na 4ª lição do trimestre relativa ao domingo ocorrem as seguintes palavras: “A sabedoria é tão importante que precisa alcançar a todos”. Felizmente isso se deu. O apóstolo João diz: “Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o Seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna”.
Mas a declaração continua: “Deus criou toda a vida humana, e Cristo morreu por cada um de nós. Portanto, a sabedoria, que consiste no conhecimento de Deus, e da salvação que Ele oferece, é para todo ser humano. Aqui está o Antigo Concerto em operação—ensinando que a salvação é uma oferta—algo que é posto em ação quando o homem faz alguma coisa primeiro.1
Em 1888, Deus enviou uma mensagem de amor ao Seu povo usando mensageiros humanos para levar Sua igreja de volta às “veredas antigas, o bom caminho”, para que pudesse andar nele e “encontrar descanso”. Um desses mensageiros foi E. J. Waggoner, que escreveu em seu livro The Glad Tidings a verdade sobre a salvação: “Toda esta libertação está de acordo com ‘a vontade de Deus e Pai’. A vontade de Deus é a nossa santificação (1ª Tes. 4:3). E Ele deseja que todos os homens sejam salvos e cheguem ao pleno conhecimento da verdade (1ª Tim. 2: 4). E Ele realiza todas as coisas segundo o conselho da Sua vontade “ (Efé. 1:11). ‘Você está querendo ensinar salvação universal?’, alguém pode perguntar. Queremos ensinar apenas o que a Palavra de Deus ensina—que ‘a graça de Deus se manifestou, trazendo salvação a todos os homens’ (Tito 2:11, RV). Deus operou a salvação para todos os homens, e a ele a concedeu; mas a maioria a rejeita e a lança fora. O juízo vai revelar o fato de que salvação completa foi dada a todos, e que os perdidos deliberadamente lançaram fora o seu direito de primogenitura”.2
“Cristo é dado a todos os homens. Por isso, cada pessoa recebe o todo dEle. O amor de Deus abarca o mundo inteiro, mas também destaca cada indivíduo. O amor de uma mãe não é dividido entre seus filhos, de modo que cada um receba apenas um terço, um quarto ou um quinto do mesmo; cada criança é objeto de toda a sua afeição. Quanto mais com o Deus cujo amor é mais perfeito do que o de qualquer mãe! (Isa. 49:15). Cristo é a luz do mundo, o Sol da Justiça. Mas a luz não está dividida entre uma multidão de pessoas. Se uma sala cheia de pessoas for brilhantemente iluminada, cada indivíduo recebe o benefício de toda a luz, tanto quanto se estivesse sozinho no quarto. Então, a vida de Cristo ilumina todo homem que vem a este mundo. Cristo habita em Sua plenitude em cada coração crente. . .
“Quantas vezes ouvimos alguém dizer: ‘Eu sou tão pecador que temo que o Senhor não vá me aceitar!” Até mesmo alguns que já há muito tempo têm professado ser cristãos muitas vezes tristemente desejam poder ter certeza de sua aceitação diante de Deus. Mas o Senhor não deu nenhuma razão para quaisquer dúvidas. Nossa aceitação está sempre resolvida. Cristo nos comprou e pagou o preço”.3
A sabedoria continua a clamar contra falsos ensinamentos em todos os lugares que existem: “Não obstante a Bíblia estar cheia de advertências contra os falsos mestres, muitos estão prontos a confiar a guarda de sua alma ao clero. Existem hoje milhares de professos religiosos que não podem dar qualquer outra razão para os pontos de sua fé que mantêm além daquilo em que foram instruídos por seus líderes religiosos. Passam pelos ensinos do Salvador quase desapercebidamente, e depositam confiança implícita nas palavras dos ministros. Mas são ministros infalíveis? Como podemos confiar nossas almas a sua orientação, a menos que saibamos pela Palavra de Deus que são portadores de luz? A falta de coragem moral para sair da trilha batida do mundo leva muitos a seguirem os passos de homens eruditos; e por sua relutância em investigar por si mesmos, estão se tornando desesperançadamente presos pelas cadeias de erro. Veem que a verdade para este tempo é claramente trazida à luz na Bíblia; e sentem o poder do Espírito Santo acompanhando a sua proclamação; mas permitem que a oposição do clero os afastem da luz. Apesar da razão e consciência estarem convencidas, essas almas iludidas não ousam pensar diferentemente do ministro; e seu julgamento individual e interesses eternos são sacrificados em favor da incredulidade, do orgulho e preconceito de outrem”.4
“O temor do Senhor é aborrecer o mal; orgulho e arrogância, o mau caminho e a boca perversa, eu aborreço” (Prov. 8:13). “O temor do Senhor é o princípio da sabedoria” (Prov. 9:10; 1:7.). Portanto, a sabedoria está antes de tudo. O temor do Senhor e Sua verdadeira adoração também são descritos como odiar o mal—como Ele o faz. Esta virtude da sabedoria é a humildade; portanto a sabedoria aborrece, acima de tudo, a auto-exaltação em todas as suas formas.
João Batista proferiu verdadeiras palavras de humildade quando disse de Jesus: “Convém que ele cresça e que eu diminua” (João 3:30). Estas palavras mostram a verdadeira relação de cada homem com Cristo. Todo seguidor de Cristo deve crer com o coração: “Ele deve crescer e eu diminuir”.
“Em que medida deve essa diminuição e crescimento ter lugar? – A Resposta é simples: Na medida em que a declaração é absoluta, sem qualquer limitação, é evidente que o aumento e diminuição devem ir tão longe quanto é possível, ou seja, enquanto houver alguma coisa deixada em nós que possa ser diminuída.
“Segue-se, então, que devemos diminuir até que não haja mais nada de nós, e Ele deve crescer até que encha todas as coisas. Esta obliteração do eu, a fusão de nós mesmos nEle, é de fato a única maneira em que nossa existência pode ser continuada. . . . Não perdemos a nossa personalidade, mas Cristo torna-Se a nossa personalidade, manifestando-Se em nós para o que Deus planejou que fôssemos. Desaparecer de vista em Cristo é mais do que ascender ao céu sem Ele”.5
As lições de segunda-feira e terça-feira tratam com Provérbios 8: 22-31, e como a sabedoria está relacionada com a criação. No final da lição de terça-feira é feita esta pergunta: “Por que a função dEle como Criador é tão importante na compreendermos  Sua função como Redentor?” A resposta a esta pergunta é fundamental para a compreensão da verdade da salvação—a mensagem de 1888.
“O sábado, como vimos, é o memorial das obras maravilhosas de Deus. Mas o poder de Deus é claramente visto nas coisas que Ele fez, e Deus espera que todos os homens vejam o Seu poder nelas; pois Ele considera todos os homens indesculpáveis se não conhecem o Seu eterno poder e Divindade. “Pois desde a criação do mundo os atributos invisíveis são vistos claramente, sendo percebidos por meio das coisas que são feitas, mesmo seu sempiterno poder e Divindade, de modo que eles fiquem inescusáveis” (Rom. 1:20). Agora, o Evangelho é “o poder de Deus para salvação de todo aquele que crê” (vs. 16). Portanto, sendo que o poder de Deus é visto nas coisas que Ele fez, e o sábado é o memorial de Suas obras, é evidente que o sábado é o grande memorial do Evangelho. Nele e através dele apreendemos o poder de Cristo para salvar.
“Criação e redenção são a mesma coisa, e o sábado e a cruz estão tão intimamente ligados por ambos serem igualmente manifestações do poder de vida de Cristo.
... ‘NEle tudo subsiste’ (Col. 1:17). “NEle vivemos, e nos movemos e existimos” (Atos 17:28)”.6
“Porque, se nós, quando inimigos, fomos reconciliados com Deus pela morte de Seu Filho, muito mais, estando já reconciliados, seremos salvos pela Sua vida” (Rom. 5:10). A vida que faz isso é a vida a partir da qual todas as coisas criadas procederam, e pela qual existem. O poder da redenção é o poder da criação, e esse é o poder da vida de Cristo.
Caro leitor, Jesus te ama. Você foi comprado pelo próprio Senhor e Ele deu Sua preciosa vida para redimir você. Deus nos deu a Sua Divina Sabedoria—Jesus. “Ao dar a Jesus, nesse dom precioso nosso Pai celestial lhe concedeu todos os tesouros do céu”.7


—Daniel H. Peters 


O irmão Daniel Peters vive na parte leste da cidade de Los Angeles, Estado da Califórnia, EUA, e trabalha como Conselheiro Oficial antidrogas e álcool para mães e mulheres grávidas. O seu coração foi sensivelmente tocado pela “mui preciosa mensagem” (Test. p/ Ministros, págs. 91 e 92) e sua vida tem sido apaixonadamente dedicada a esta mensagem que Deus outorgou à Sua igreja em 1888. Ele e sua família são membros da igreja adventista do sétimo dia de Whittier, uma cidade a 19 kms ao sul de Los Angeles, localizada no nº 8841 na Calmada Avenue, Whittier, Ca. 90605, EUA. Ele é tataraneto de Ellet J. Waggoner. O irmão Daniel é um ardoroso estudante da Bíblia e do Espírito de Profecia e de toda literatura relativa à mensagem de 1888. Ele foi um dos principais oradores no seminário “É a Justiça Pela Fé, Relevante Hoje?”, realizado em 21 e 22 de maio de 2010) na Igreja Adventista do Sétimo Dia da cidade de Reno, estado de Nevada, localizada na 7125 Weest 4th Street.

Notas:
Notas (A primeira é do tradutor):

1)        A lição de domingo, 1º §, nos fala de uma oferta de Deus para nós, o que é um erro originado na ideia do velho concerto (Êxodo 19:e e 24:7). Deus não nos oferece a salvação, ao contrário, Ele a deu a todos os seres humanos, o que é muito diferente.
O apóstolo João esclarece isto: “Deus amou o mundo de tal maneira que DEU o Seu Filho unigênito, para que todo aquele que nEle crê não pereça, mas tenha a vida eterna” (João 3:16).
Também o apóstolo Paulo diz que “a graça de Deus se há manifestado, trazendo salvação a todos os homens(Tito 2:11).
E “Ele quer que todos os homens se salvem e venham ao conhecimento da verdade” (1ª Tim. 2: 4).
Ellet J. Waggoner, um dos dois mensageiros de 1888 chegou a ser indagado se ele estava pregando universalismo, ao que ele respondeu que simplesmente queria pregar o que a Bíblia ensina, que “a graça de Deus se manifestou, trazendo salvação a todos os homens.”
Se a salvação fosse uma oferta, isto implicaria que quem a “aceitasse” estaria empreendendo uma parte na salvação, e poderia chegar no céu e dizer: Tudo bem, Jesus morreu por mim, e eu a aceitei, e aqui estou. Mas meu vizinho rejeitou e ficou lá no pó da terra aguardando o final dos mil anos para a segunda ressurreição. Você vê? Tal indivíduo estaria declarando que ele participou na sua salvação. Isto seria salvação pelas obras. A salvação ocorre por crermos nela e não resistirmos à ação do Espírito Santo em nosso coração. “Deus é um caçador incansável, que está sempre em safari em nosso encalço.” A perdição ocorrerá por resistência à mesma ação. Foi o que ocorreu com o povo de Israel às portas da terra prometida: “não puderam entrar por causa da sua incredulidade (Heb. 3:19).
2) Boas Novas, de E. J. Waggoner, págs. 13 e 14.
3) Idem, págs. 11 e 12;
4) O Grande Conflito, págs. 596 e 597
5) “A Verdade Presente, de 18 de julho de 1901; artigo “Última Pàgina,”  E. J. Waggoner
6) Ibidem, artigo “O Sábado e a Cruz,” E. J. Waggoner, 20 de julho de 1893
7) MR (= Manuscrito liberado nº 929 - 12 MR 34.1), de 19 de maio de 1895
Nota adicional: Asteriscos (*) indicam acréscimos do tradutor.
____________________________

quarta-feira, 14 de janeiro de 2015

Lição 3 – Uma questão de vida ou morte, por Daniel Peters



Para 10 a 17 de janeiro de 2015

“Porque o mandamento é lâmpada, e a lei é luz; e as repreensões da correção são o caminho da vida” (Prov. 6:23). Nosso texto para memorização nos lembra que a posição final dos santos deve-se a que a fé de Jesus observa todos os mandamentos de Deus em nós. Isto se dá como resultado da verdade afirmado em Gálatas 2:20: “Já estou crucificado com Cristo”. Isto significa que eu morri neste crucifixão, mas o apóstolo continua a dizer: “já não sou eu quem vive, mas Cristo vive em mim; e a vida que agora vivo na carne, vivo-a na fé do Filho de Deus”. Jesus observou todos os mandamentos de Deus. Ele está vivendo Sua vida em mim por meio do Espírito, e como tal é que Apocalipse 14:12 descreve a vida de Cristo em Seu povo. O Seu povo vive pela fé, e é essa fé em Jesus que atua mediante o amor que obedece a lei de Deus.

O princípio subjacente aos mandamentos não diz respeito a roubar, mentir, ou até mesmo matar. Embora a lei de Deus requeira de nós o não envolvimento nessas atividades ou pensamentos, estão na própria constituição e núcleo de nossa humanidade desde a Queda. Portanto, é impossível ao homem, seja um pagão ou um professo ministro de Deus, abster-se, não importa o montante de esforço ou desejo, dessas obras da carne. As obras do homem são apenas isso, obras do homem.

Quando Deus “obra” Ele assina o Seu trabalho com o Seu nome e selo. Deus não assina obra alguma que não haja feito, pois isso não seria apropriado. O homem assina o que faz; Deus assina o que faz, e, no fim, o selo de Deus, não a assinatura do homem, é o fator determinante. A obediência de Jesus à lei é a única obediência aceita pela lei e, portanto, pode ser selada. A própria obediência do homem jamais será aceita, pois todos os esforços do homem procedem dele e não da fé, portanto, todos os seus esforços para cumprir a lei são apenas pecado: “Porque tudo o que não procede de fé é pecado” (Rom. 14:23).

Apocalipse 14:12 afirma que os mandamentos de Deus são observados (ou cridos) por causa da fé em Jesus e por seu meio. Se os esforços e méritos do homem merecessem realmente alguma consideração, João, o Revelador, perdeu uma ótima oportunidade de mencioná-los aqui.

Os mandamentos de Deus são as promessas de Deus. “Então falou Deus todas estas palavras, dizendo: Eu sou o Senhor, teu Deus, que te tirei da terra do Egito, da casa da servidão” (Êxo. 20: 1-2). Deus já livrou a todos do pecado e de seus vícios “prediletos”. O problema parece ser que a maioria aceita as exigências da Lei enquanto nega o poder do Legislador cumprir Sua própria lei! Isto é o mesmo que aceitar a criação, mas negar o poder de Deus para realizá-la. Onde não há poder, não há poder. Nenhuma quantidade de saltos que dê o homem para cima e para baixo pode produzir o que não possui naturalmente. Assim, Deus nos promete que, por Ele já nos ter livrado, não devemos furtar, cometer adultério, etc. Que notícia maravilhosa!

Paulo confessa: “Estou crucificado com Cristo e já não sou eu quem vive, mas Cristo vive em mim; e a vida que agora vivo na carne, vivo-a pela fé do Filho de Deus, o qual me amou e a Si mesmo se entregou por mim” (Gál. 2:20). “Morremos”, contudo a vida que está no interior é a de Cristo e Ele traz a sua obediência a nós, por nós e como nós. Os mortos são libertados do pecado (Rom. 6: 7, 8, 14, 18, 22) e toda a conversa sobre como uma pessoa se sente se comete adultério é apenas um desvio—uma declaração de incredulidade no poder de Deus. É Cristo do começo ao fim. Ponto final!

Quanto ao envolvimento do homem na sua própria salvação: “Se reunirdes tudo o que é bom e santo e nobre e encantador no homem, e, em seguida, apresentardes a questão aos anjos de Deus como tendo um papel na salvação da alma humana ou em mérito, a proposição seria rejeitada como traição” (Materiais de Ellen G. White sobre 1888”, vol. 2, pág. 816). A marca de todos os pagãos ou religião pagã é a de que o homem deve fazer algo para contribuir para a sua própria salvação.

E. J. Waggoner, um dos dois mensageiros da mensagem de 1888, escreveu o seguinte em The Glad Tidings, capítulo 2.1 Estas passagens tratam da questão da vida e morte dos mandamentos:

“Cristo dá liberdade do pecado. Sua vida é ‘a lei perfeita da liberdade’. ‘Pela lei vem o pleno conhecimento do pecado’ (Rom. 3:20), mas não a liberdade do pecado. ‘A lei é santa, e o mandamento é santo, justo e bom’ (Rom. 7:12), pois dá o conhecimento do pecado, condenando-o. É uma placa de sinalização, que indica o caminho, mas não nos leva até ele. Pode nos dizer que estamos fora do caminho, mas só Jesus Cristo pode nos fazer andar nele, pois Ele é o caminho. O pecado é escravidão. Somente aqueles que guardam os mandamentos de Deus estão em liberdade (Salmo 119: 45); e os mandamentos podem ser observados somente pela fé em Cristo. Rom. 8: 3,4.

“Portanto, quem quer que induza as pessoas a confiar na lei para a justiça sem Cristo simplesmente as coloca sob um jugo e as prende em cativeiro. Quando um homem condenado pela lei é lançado na prisão, ele não pode ser livrado de suas correntes pela lei que o mantém lá. Mas isso não é culpa da lei. Só por ser uma boa lei ela não pode dizer que um homem culpado é inocente.

“Além disso, não há um só que tenha força para observar a lei, pois as suas necessidades são grandes. Embora ninguém possa ser justificado pelas obras da lei, a culpa não está na lei, mas no indivíduo. Aceite a Cristo no coração pela fé, e a justiça da lei vai estar lá também. Como o salmista diz: ‘Deleito-me em fazer a tua vontade, ó Deus meu; sim, dentro do Meu coração está a Tua lei’ (Salmo 40:8). Aquele que lance fora da lei, porque não vai ao mal chamar bem, também rejeita a Deus porque Ele ‘não tem por inocente o culpado’ (Êxo. 34: 7). Mas Deus vai remover a culpa, e, assim, tornar o pecador justo, ou seja, em harmonia com a lei.
  
“Muito se perde por não se notar exatamente o que as Escrituras dizem. No original em Gálatas 2:16 temos a ‘fé de Cristo’, assim como em Apocalipse 14:12 temos a ‘fé de Jesus’. Ele é ‘o autor e consumador da nossa fé’ (Heb. 12: 2). ‘A fé vem pelo ouvir, e o ouvir pela Palavra de Deus’ (Rom. 10:17), e Cristo é a Palavra. Deus ‘repartiu a cada um a medida da fé’ (Rom. 12: 3) em dar Cristo a todos os homens.

“Assim, não há oportunidade para ninguém alegar que a sua fé seja fraca. Um homem pode ser ‘fraco na fé’, isto é, pode ter medo de depender de fé; mas a própria fé é tão forte como a Palavra de Deus. Somente Cristo é justo. Ele venceu o mundo. Só ele tem o poder de fazê-lo. Nele está toda a plenitude de Deus, porque a lei—o próprio Deus—está em seu coração. Ele somente observou e pode observar a lei com perfeição. Portanto, somente por Sua fé—fé viva, isto é, Sua vida em nós—podemos ser tornados justos.

“Isto é suficiente. Ele é uma ‘Pedra provada’. A fé que Ele nos dá é a Sua própria fé provada e aprovada, e ela não falhará em qualquer circunstância. Não somos exortados a tentar fazer tão bem como Ele fez, ou tentar exercer tanta fé quanto Ele tinha, mas simplesmente tomar a Sua fé, e deixá-la operar por amor, e purificar o coração. Ela vai fazê-lo! (Gal. 5: 6).
  
“A todos quantos O receberam, deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus, aos que creem no seu nome” (João 1:12). Isto é, todos os que creram em Seu nome receberam. Crer no Seu nome é acreditar que Ele é o Filho de Deus. Crer que Ele é o Filho de Deus significa crer que Ele veio em carne, carne humana, a nossa carne. O Seu nome é ‘Deus conosco’.

“Então, crendo em Cristo, somos justificados pela fé de Cristo, uma vez que temos a Ele, pessoalmente, habitando em nós, exercendo a Sua própria fé. Todo o poder no céu e na terra está em Suas mãos. Reconhecendo isso, nós simplesmente permitimos que Ele exercite o Seu próprio poder em Sua própria maneira. Isso ele faz ‘muito mais abundantemente’ pelo ‘poder que opera em nós’”.

Começamos com este verso: “Porque o mandamento é lâmpada, e a lei é luz; e as repreensões da correção são o caminho da vida” (Prov. 6:23). E fechamos com a palavra do apóstolo João em relação ao nosso versículo: “Nele estava a vida, e a vida era a luz dos homens. E a luz resplandeceu nas trevas, e as trevas não a compreenderam. E o Verbo se fez carne e habitou entre nós, e vimos a sua glória, glória como a do Unigênito do Pai, cheio de graça e de verdade” (João 1: 4-5, 14).

—Os materiais desta lição foi compilado por Daniel H. Peters
dos escritos de Ellen G. White, E. J. Waggoner, e diversos
 escritos dos ensinamentos da mensagem de 1888


Notae:
[1] The Glad Tidings, (As Boas Novas) Publicações Glad Tidings;

O irmão Daniel Peters vive na parte leste da cidade de Los Angeles, Estado da Califórnia, EUA, e trabalha como Conselheiro Oficial antidrogas e álcool para mães e mulheres grávidas. O seu coração foi sensivelmente tocado pela “mui preciosa mensagem” (Test. p/ Ministros, págs. 91 e 92) e sua vida tem sido apaixonadamente dedicada a esta mensagem que Deus outorgou à Sua igreja em 1888. Ele e sua família são membros da igreja adventista do sétimo dia de Whittier, uma cidade a 19 kms ao sul de Los Angeles, localizada no nº 8841 na Calmada Avenue, Whittier, Ca. 90605, EUA. Ele é tataraneto de Ellet J. Waggoner. O irmão Daniel é um ardoroso estudante da Bíblia e do Espírito de Profecia e de toda literatura relativa à mensagem de 1888. Ele foi um dos principais oradores no seminário “É a Justiça Pela Fé, Relevante Hoje?”, realizado em 21 e 22 de maio de 2010) na Igreja Adventista do Sétimo Dia da cidade de Reno, estado de Nevada, localizada na 7125 Weest 4th Street.

_____________________________



quinta-feira, 8 de janeiro de 2015

Lição 2 — Dos ouvidos aos pés, por Paulo E. Penno



Para 3 a 10 de janeiro de 2015

Provérbios não é primariamente sobre não fazer, mas sobre como podemos viver uma vida melhor em 2015. Jesus disse: "Eu vim para que tenham vida e a tenham em abundância" (João 10:10). Nós não merecemos isso, mas podemos tê-lo ao máximo, porque Cristo o concede com base em Sua graça.
Provérbios 4 nos mostra o único caminho para a vida: Cristo. Eis como as coisas funcionam: “Ouve, ó filhos, a instrução do seu pai, ... Quando eu era um filho com o meu pai, ... ele me ensinou ... retenha as minhas palavras; guarde os meus mandamentos, e viva (Prov. 4: 1- 4, English Standard Version).
Estamos ouvindo um pai de filhos adolescentes dando-lhes instruções sábias. Como faz isso? Ele lhes diz que aprendeu com o seu pai quando era menino. Nossos antepassados não estão desqualificados para falar para nossas vidas só porque já se foram. A Bíblia diz: "Lembre-se de seus líderes ... e imita a sua fé" (Heb. 13: 7). Os pais mortos falam por experiência comprovada.
Nossa melhor esperança, sob a orientação do Espírito Santo, é a restauração daquela “mui preciosa mensagemque o Senhor enviou, o “começo” da chuva serôdia e do alto clamor.1 A maioria dos apelos de Ellen White para reavivamento e reforma estão dentro do contexto da mensagem de 1888.
“Eu sei que uma obra deve ser realizada pelo povo, ou muitos não estarão preparados para receber a luz do anjo enviado do céu para iluminar toda a Terra com a sua glória. Não penseis que sereis encontrados  como vasos para honra no tempo da chuva serôdia ... se estiverdes ... acalentando raízes de amargura trazidas da assembleia em Mineápolis. ... Apelo-vos, homens em posições de responsabilidade, ... o Senhor olha com desagrado àqueles que ... manifestam um desrespeito satânico para com os que deveriam considerar altamente. "2
O legalismo se especializa em apelos tradicionais para começar a viver a vida cristã . . . agora” aparte da clara verdade do evangelho. Tais apelos soam bem; são altamente populares (como o legalismo sempre é); a atitude fácil, natural é acenar a cabeça e dizer, amém, “Vamos fazer isso”. E temos resolvido as coisas assim por um longo tempo. Nossas exortações piedosas . . . devemos ser mais fiéis”, “devemos acordar mais cedo”, “devemos orar mais”,3 “devemos estudar mais a Bíblia”, “devemos amar mais”, “devemos ser mais semelhantes a Cristo”, “devemos nos sacrificar mais”, “devemos visitar mais nossos vizinhos “, “devemos trabalhar mais duramente”. Mas dizer às pessoas o que fazer, sem fornecer a verdadeira motivação do Novo Testamento, está muito aquém da boa nova do evangelho.
Ellen White se regozijou com a mensagem de Jones e Waggoner porque viu nela uma motivação pela qual esses imperativos legalistas familiares do adventismo podiam ser traduzidos em vibrantes recursos habilitadores do evangelho.
É-nos dito para olhar adiante, e não para trás. Embora isto seja verdade, isso falha em apreender que a real necessidade da Igreja é a recuperação da pura verdade da justificação pela fé, da qual o evangelicalismo popular não é a fonte adequada. Há esperança para a Igreja se acreditarmos no conselho de Ellen White, “Não temos nada a temer quanto ao futuro, a menos que nos esqueçamos da maneira em que o Senhor nos tem guiado, e de Seu ensino em nossa história passada”.4 Isso significa dominar a verdade sobre 1888, para que possamos olhar para frente com entendimento.
Em Sua cruz, Cristo realmente redimiu o mundo, morreu a segunda morte de todos os homens”, deu-lhes todas as bênçãos com que sempre contaram, inclusive a luz do sol e a chuva, além do dom da salvação. Ninguém se perderá dentre os que não resistam à verdade ou dela descreiam.
Nossa brilhante esperança é a promessa do evangelho: Mas a vereda dos justos é como a luz da aurora, que vai brilhando mais e mais até ser dia perfeito” (Prov. 4:18).
O que nos mantém avançando no caminho da sabedoria de Deus é a esperança. Se você escolheu a Cristo, Ele está despontando em sua vida. Agora pode ser apenas um lampejo de luz no seu horizonte, mas o sol está nascendo, a escuridão não pode detê-lo, e Cristo trará a Sua boa obra em você ao brilho do meio-dia: “Aquele que começou a boa obra em vocês, vai completá-la até ao dia de Cristo Jesus (Fil. 1:5). Essa luminosa confiança do evangelho é como seguirá em frente, passo a passo, no caminho certo.
Nós “seguimos” a Jesus—nunca ficando parados. Ele está guiando o Seu povo para se preparar para a Segunda Vinda. “O caminho do justo é como a luz da aurora que vai brilhando mais e mais até ser dia perfeito(Prov. 4:18). O evangelho eterno de Apocalipse 14:6-15 prepara um povo para o tempo em que João viu uma nuvem branca, e sobre a nuvem assentou-Se um semelhante ao Filho do homem, . . . a seara da terra está madura.” A segunda vinda de Cristo!
Agora, como não se perder ao longo do caminho. Mantenha o seu coração com toda a vigilância, porque dele procedem as fontes da vida (Prov. 4:23). Preste atenção ao caminho do evangelho, aplicando-o aos nossos corações constantemente.
Este é exatamente o oposto da sabedoria de nossa cultura. Dizem-nos hoje que se quisermos ser felizes o que precisamos fazer é reunir em torno de nossa viver egoísta nossa pequena vida, planejada do jeito como a queremos, com a nossa casa dos sonhos, e nossa esposa ou marido “troféu”, nosso trabalho ideal e todo o resto. Mas a verdade é que, se temos tudo, isso só nos fará mais deprimidos e com raiva, porque todas essas vantagens exteriores só servem para zombar de nossa tristeza interior.
Precisamos de nossos corações continuamente preenchidos com a sempre renovadora vida de Cristo, pela fé no evangelho. Disse Jesus: “Se alguém tem sede, venha a Mim e beba. Quem crê em Mim, como diz a Escritura, de seu interior correrão rios de água viva” (João 7:37, 38). Não perderemos o nosso caminho na jornada da vida se continuarmos indo a Jesus e a beber de Sua aceitação, de Seu perdão, de Suas promessas, de Seu amor. Tudo o mais flui para fora desde o mais profundo.
Ao atrairmos o amor que ansiamos de Jesus, ele flui para fora na cura por todo o nosso ser. Desvia de ti a falsidade da boca, e afasta de ti a perversidade dos lábios. Os teus olhos olhem para frente, e as tuas pálpebras olhem direto diante de ti. Pondera a vereda de teus pés, e todos os teus caminhos sejam bem ordenados! Não declines nem para a direita nem para a esquerda; retira o teu pé do mal” (Provérbios 4: 24-27).
O Senhor Jesus Cristo, que morreu por você também, reivindica tudo quanto é, da cabeça aos pés. O evangelho lhe chama para entregar o seu próprio corpo a Ele. Se estamos distraídos da ligação em tempo real com as misericórdias de Deus, de modo que nossos corações se tornem frios e nossas bocas se tornem imprudentes, e os nossos olhos sejam distantes, e os nossos pés errantes, estamos só a um passo em falso de distância para a catástrofe de arrasar a vida. Não temos que nos envolver em pecados diretos para terminar nessa condição, só temos que negligenciar a vigilância de nossos corações deixando de estar alertas. Cada um de nós se acha sempre a cinco minutos do desastre total. Mas se estivermos recebendo pela fé a efusão do amor de Cristo que constantemente flui de Seu trono de graça, não podemos perder o nosso caminho. (*Grifamos).
Se você for destro, coloque a sua mão direita à sua frente para que possa olhar para ela. Se for canhoto, estenda a mão esquerda. Você faz muito com essa mão, o bem e o mal. Mas agora dedique essa mão a Cristo. Ele pode tornar você sábio por toda a sua vida com essa mão. Eis do que precisa lembrar-se: Jesus morreu pela sua mão.
Ele não morreu somente pelos pecados cometidos com os seus pés. Ele derramou o Seu sangue por amor a seus pés, para resgatar os seus pés, para fazer os seus pés viverem na vida presente para o louvor da glória de Sua graça. Seus pés vão ser poderosos para Deus. Seus pés não mais vão sentir dor. Seus pés não serão mais capazes de pecar. Na verdade, tudo quanto você é será resgatado. Como pode entregar-se à estultícia agora? Esse não é o seu caminho. Esse não é o seu destino. Cristo separou você para Si mesmo. Ele terá a palavra final em sua vida, e o Seu propósito de graça está despontando em você agora.

Paulo E. Penno


Notas:
1] “Testemunhos Para Ministros e Obreiros Evangélicos,” pág. 91;
2] "To the General Conference" (À Conferência Geral), B-24, 1889; Materiais de Ellen G. White sobre 1888, págs. 442, 443;
3] Nevins, “I Must Pray More,” (Devo Orar Mais) Advent Review and Sabbath Herald, July 14, 1863, pág. 49.
4] Ellen G. White, Boletim da Conferência Geral de 1893, pág. 24; Mensagens Escolhidas. 3, pág. 162. (Na edição Casa Publicadora Brasileira, em Tatuí, de 1987,  está à pág. 196; Testemunhos Para Ministros e Obreiros Evangélicos, pág. 31.

Paulo Penno é pastor evangelista da igreja adventista na cidade de Hayward, na Califórnia, EUA, da Associação Norte Californiana da IASD, localizada no endereço 26400, Gading Road, Hayward, Telefone: 001 XX (510) 782-3422. Ele foi ordenado ao ministério há 38 anos. Após o curso de teologia ele fez mestrado na Universidade de Andrews. Recentemente ele preparou uma extensiva antologia dos escritos de Alonzo T. Jones e Ellet J. Waggoner, a qual está incluída na Compreensiva Pesquisa dos Escritos de Ellen G. White. Recentemente também ele escreveu o livro “O Calvário no Sinai: A Lei e os Concertos na História da Igreja Adventista do 7º Dia,” e, ao longo dos anos, escreveu muitos artigos sobre vários conceitos da mensagem de 1888. O pai dele, Paul Penno foi também pastor da igreja adventista, assim nós usualmente escrevemos seu nome: Paul E. Penno Junior. Você pode vê-lo, no You Tube, semanalmente, explanando a lição da semana seguinte na igreja adventista de Hayward, na Califórnia, em http://www.youtube.com/user/88denver99
_________________________