terça-feira, 13 de junho de 2017

Lição 12 — O Dia do Senhor



Para 10 a 17 de junho de 2017
Pedro adverte que "nos últimos dias virão escarnecedores" (2ª Pedro 3: 3), motivados por desejos e ensinamentos pecaminosos: o mundo sempre continua em estado estacionário, sem a intervenção de Deus, sem catástrofes, sem fim. Eles ridicularizam: "Onde está a promessa de Sua vinda?" (Vs. 4). Os escarnecedores preferem andar "segundo as suas próprias concupiscências" e não se sentem incomodados com a inspiração moral e espiritual em vista do dia do Senhor. Eles ensinam que tudo permanece o mesmo, mas Pedro ensina catástrofe: o mundo é "guardado ... para o dia do juízo e da perdição dos homens ímpios” (vs. 7). Assim como os “anjos que pecaram ... foram reservados para juízo” (2ª Pedro 2: 4), os injustos também são reservados para julgamento (vs. 9), e a escuridão é reservada para os falsos mestres (vs.17).
Como você se prepara para o dia do Senhor e o aparente atraso do fim? Nós chocamos as pessoas dizendo que são impacientes porque nossa vida é tão curta. Mas Deus opera em um calendário muito diferente, “um dia para o Senhor é como mil anos” (2ª Pedro 3: 8). Então, o Senhor não está atrasado, pois alguns entendem a lentidão.
Outra razão para o atraso é que Deus não "quer que alguns se percam, senão que todos venham a arrepender-se" (vs. 9). Você é um daqueles que foram "chamados". Depende de como você responde à chamada para saber se você está "escolhido". Cristo escolheu todos os que O escolherão. Nossa "eleição" não é algo misterioso que depende do capricho ou fantasia de Deus. Deus está votando por nós, e Satanás está votando contra nós; e, portanto, depende do nosso próprio voto de que maneira as eleições ocorrerão! Aqueles que simplesmente escolhem a Cristo serão habilitados por Sua graça a serem fiéis até o fim. Deus esperou pacientemente nos dias de Noé. Mas a paciência dEle não é para sempre, pois o dilúvio veio.
Mais um ponto: "O dia do Senhor virá como o ladrão" (2ª Pedro 3:10). Um ladrão é inesperado. O dia do Senhor é a segunda vinda de Cristo e todos os eventos catastróficos associados a ele.
As consequências práticas da crença no dia do Senhor são: Que tipo de pessoas você deve ser? A pergunta é respondida por Pedro: "Que pessoas vos convém ser em santo trato e piedade" (vs. 11).
Então, Pedro nos exorta, "Aguardando e apressando-vos para a vinda do dia de Deus" (vs. 12). Podem os crentes realmente apressar aquele dia, apesar de como é a experiência divina quanto ao tempo?
Tem a volta de Jesus sido atrasada? (1) Fixou o Pai inexoravelmente o tempo da Sua vinda, de modo que Seu povo não possa acelerá-lo nem atrasá-lo? Ou, (2) pode Seu povo apressar Seu retorno como 2ª Pedro 3:12 sugere: "Aguardando e apressando-vos para a vinda do dia de Deus..."? O original pode ser entendido tanto como (a) desejando sua vinda ou (b) como acelerarando a sua chegada. Aqueles que acreditam que o Pai fixou a data inexoravelmente se agarram à ideia “a” acima. Aqueles que acreditam que nós podemos atrasar a Sua vinda atêm-se à opção “b”.
Jesus deixa claro que só o Pai conhece o tempo de Sua segunda vinda (Marcos 13:32), mas isso não significa que Ele tenha fixado o tempo como predestinação calvinista. Ele "designou" o tempo no sentido de que depende da conclusão da comissão do evangelho: "Este evangelho do reino será pregado em todo o mundo para testemunho de todas as nações, e então o fim virá" ( Mateus 24:14). O quando depende de nós.
O carater de Deus está implicado nesta questão. Se Ele fixou o tempo, então Ele enganou Seu povo por repetidas mensagens dizendo que está "perto". Alguns argumentam que quando Ele diz "sabei que Ele está próximo, às portas", (*Mat. 24:33) quer dizer algo diferente do que toda linguagem humana significa por "próximo", mas novamente isso implica decepção. Se eu disser a uma pessoa com fome que o almoço está "perto" quando quero dizer na semana que vem, eu o enganei.
O que as lições de Parábolas de Jesus, pág. 69, significa ao dizer: "Quando o caráter de Cristo for perfeitamente reproduzido em Seu povo, então Ele virá para reivindicá-los como Seus próprios"?
Deve significar o que diz. O que fala não é uma impossibilidade. É o que Cristo morreu para tornar possível e o que Ele vive e ministra no Santíssimo do santuário celestial para tornar realidade. As objeções negam logicamente a possibilidade de os seres humanos "vencerem assim como [Cristo] venceu" (Apocalipse 3:21). Nesta última hora do grande conflito, não devemos negar o plano de salvação e negar o poder e glória do Filho de Deus para salvar as pessoas do pecado.
O retorno de Cristo tem-se "atrasado"? Ellen White parece reconhecer que tem havido um atraso: "A repugnância que Deus sente de que Seu povo pereça, eis a razão de tão longa tardança"1 "A vinda do Senhor está atrasada".2 "Ele [Jesus] atrasa a Sua vinda".3 "Por quarenta anos a incredulidade, a murmuração e a rebelião excluíram o antigo Israel da terra de Canaã. Os mesmos pecados têm retardado a entrada do Israel moderno na Canaã celestial. Em nenhum dos casos houve falta da parte das promessas de Deus. É a incredulidade, a mundanidade, a falta de consagração e a contenda entre o professo povo de Deus que nos têm detido neste mundo de pecado e dor por tantos anos.”4
Mas cinco anos depois, o Senhor enviou os chuveiros iniciais do céu da chuva seôdia e do "início" da mensagem de alto clamor que deve iluminar a terra com glória.(*Apoc. 18:1) Falando da incredulidade manifestada a partir de 1888, ela disse: "Se todo soldado de Cristo tivesse cumprido seu dever, se todo vigia nos muros de Sião tivesse dado à trombeta um sonido certo, o mundo poderia antes dessa data ter ouvido a mensagem de advertência. Mas o trabalho está com anos de atraso. Que conta será dada a Deus por assim retardar o trabalho?"5 "Retardar" soa como "atraso".
O que é claro é que a segunda vinda de Cristo não pode acontecer até dar-se o "casamento do Cordeiro vir". E Apocalipse 19: 1-9 deixa claro que o único motivo pelo qual o "casamento" não ocorreu é que a Noiva dEle "não se preparou", pois quando ela se preparar ", o noivo celestial não irá tardar. Assim, esta questão envolve o caráter do próprio Cristo. Ele ama essa futura noiva? E Ele quer vir?

Paul E. Penno




Notas finais, todas do Espírito de Profecia de Ellen G. White:                                    

1) “A longa noite de trevas é probante, mas em misericórdia a manhã é adiada, pois se o Mestre viesse, quantos se achariam desapercebidos! A repugnância que Deus sente de que Seu povo pereça, eis a razão de tão longa tardança.”  Testemunhos Para a Igreja, vol. 2, pág. 194; e Evangelismo, pág. 694;
“Houvesse o desígnio de Deus sido cumprido por Seu povo em dar ao mundo a mensagem de misericórdia, e Cristo haveria, antes disto, de ter vindo à Terra, e os santos teriam recebido as boas-vindas à cidade de Deus.” — Evangelismo, pág. 694;
“Sei que, se o povo de Deus houvesse mantido viva ligação com Ele, se Lhe houvessem obedecido à Palavra, estariam hoje na Canaã celestial.” —Boletim da Assembléia da Associação Geral de 1903, e Evangelismo, pág. 694;
“Se todo atalaia sobre os muros de Sião houvesse dado à trombeta um sonido certo, o mundo haveria antes desta data ouvido a mensagem de advertência. A obra, porém, acha-se com atraso de anos. Enquanto os homens dormiram, Satanás marchou furtivamente sobre nós.” — Testemunhos Para a Igreja, vol. 9, pág. 29; e Evangelismo, pág. 694;

2) Manuscript Releases, vol. 10, pág. 268; Carta 84, 1886.

3) Manuscript Releases, vol. 10, pág. 265; Manuscrito nº 5, de 1876

4) Evangelismo, pág. 696; Manuscrito nº 4, 1883.

5) Boletim Diário da Associação Geral de 28 de fevereiro de 1893, pág. 419

_____________________________________

Biografia do autor, Pastor Paulo E. Penno:
Paulo Penno foi pastor evangelista da igreja adventista na cidade de Hayward, na Califórnia, EUA, da Associação Norte Californiana da IASD, localizada no endereço 26400, Gading Road, Hayward, Telefone: 001 XX (510) 782-3422. Foi ordenado ao ministério há 42 anos e jubilado em junho de 2016, Após o curso de teologia fez mestrado na Universidade de Andrews. Recentemente preparou uma Compreensiva Pesquisa dos Escritos de Ellen G. White. Recentemente também escreveu o livro “O Calvário no Sinai: A Lei e os Concertos na História da Igreja Adventista do 7º Dia,” e, ao longo dos anos, escreveu muitos artigos sobre vários conceitos da mensagem de justificação pela fé segundo a serva do Senhor nos apresenta em livros como Caminho a Cristo, DTN, etc. O pai dele, Paul Penno foi também pastor da igreja adventista, assim nós usualmente escrevemos seu nome: Paul E. Penno Junior. Ele foi o principal orador do seminário “Elias, convertendo corações”, nos dias 6 e 7 de fevereiro de 2015, realizado na igreja adventista Valley Center Seventh-day Adventist Church localizada no endereço: 14919  Fruitvale Road, Valley Center, Califórnia.
  
    Atenção, asteriscos (*…) indicam acréscimos do tradutor.
­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­
_____________________________________


terça-feira, 6 de junho de 2017

Lição 11 — Falsos mestres



Para 3 a 10 de junho de 2017

Na fé cristã, existe um verdadeiro princípio: se a falsa doutrina é proclamada, as pessoas irão acreditar se ninguém a refutar com a verdade. Quando professores vieram da sede da igreja em Jerusalém para as igrejas na Galácia ensinando falsa doutrina, Paulo, o apóstolo, refutou vigorosamente o erro deles em sua Carta aos Gálatas. Ele estava obedecendo o comando de Judas, que disse: "Amados, procurando eu escrever-vos com toda diligência ... e exortar-vos a batalhar pela fé que uma vez foi dada aos santos" (vs. 3). A razão que (*o apóstolo) Judas dá é que falsos professores corromperam a verdade do evangelho, e ele (*Judas) estava dizendo: Fale a verdade! 
Hoje, alguns cristãos se afastam da "disputa" pelo evangelho, dizendo: "queremos paz e silêncio". O ditado comum é verdadeiro: tudo o que é necessário para que o mal triunfe seja que homens bons não digam nada. Quando o Filho de Deus Se encarnou nesta terra, Ele teve apenas uma vida breve, mas falou tão vigorosamente pela verdade que Ele mudou o mundo. Estamos nos aproximando rapidamente da luta final do "grande conflito" entre Cristo e Satanás. É tarde demais para quem ama Jesus se contentar em ser um covarde espiritual.
Mas alguém pode seguir Cristo verdadeiramente e não se envolver em guerra? Cristo, que está fortemente envolvido no "grande conflito", nos diz: "Não é o discípulo mais do que o mestre, nem o servo mais do que o seu senhor. ... Não cuideis que Eu vim para trazer paz à Terra; não vim trazer paz, mas espada; ... E quem não toma a sua cruz, e não segue após Mim, não é digno de Mim" (Mat. 10:24, 34, 38). Não há espaço aqui para divagações!
Um exemplo atual de conflito que enfureceu as mentes e os corações durante centenas de anos é "justificação (ou justiça) pela fé". A batalha tem acontecido durante a maior parte dos 2000 anos desde Cristo. Um livro inteiro no Novo Testamento é dedicado ao conflito — o Livro de Gálatas. Não havia nenhuma maneira de ser um cristão, àquela época, e não tomar partido, quer em apoio ao que Paulo declarou ser "a verdade do evangelho" ou aceitando o que falavam os falsos mestres que vieram de "Jerusalém" para se opor a ele. E a batalha não diminuiu! Aborde o assunto em quase qualquer igreja ou classe bíblica, e você verá as faíscas voarem. Deve este conflito continuar idefinidamente para sempre? Ou os que escolhem crer em Cristo resolvem o conflito e entram em unidade de coração genuína e duradoura? A Bíblia é clara? Ou a própria fonte de nossa própria fé está atrapalhada e confusa?
A rejeição da luz de 1888 abriu o caminho para ideias falsas, entrando disfarçadamente com aparência de justiça pela fé. Na verdade, se nos desviarmos da genuína fé, nada pode nos impedir que abraçarmos a contrafacção. A. T. Jones, na Assembleia da Associação Geral de 1893, mostrou como a mente dedicada ao eu se torna a mente de Satanás. Ele rastreou o desenvolvimento da "justificação (ou justiça) pela fé"  através do paganismo até às sutilezas do romanismo. Ele disse que existem dois tipos de justificação pela fé — um verdadeiro e uma falsificação.
A falsificação diz que a justificação pela fé é puramente um pronunciamento legal feito a milhões de anos-luz de distância que não tem relação com o coração humano; Nós, (*dizem eles) verbalmente "aceitamos Cristo"  e pomos em operação o maquinário celestial. O nome de alguém é então inserido no computador de Deus e nossos benefícios eternos de segurança social são então creditados em nossa conta. Nossa decisão iniciou este processo de absolvição legal. Nós fomos inteligentes o suficiente para colocar as moedas na máquina caça-níquel. Um elemento de orgulho pode entrar aqui; “—Nós iniciamos o processo de nossa salvação.” Um exemplo perfeito do que Pedro nos disse: "Enquanto eles nos prometem a liberdade, eles próprios são escravos da corrupção, porque por quem uma pessoa é vencida, por ele também é levado à escravidão" (2ª Pedro 2:19, Nova Versão do Rei Tiago).
Pedro diz que esses falsos mestres introduzem sutilmente "heresias de perdição" (2ª Pedro 2: 1). Uma das coisas mais angustiantes sobre eles era que “negarão o Senhor que os resgatou” (ú.p. do verso). Os cristãos são propriedade de Jesus porque Ele os comprou, como diz Pedro. O preço que Ele pagou foi o Seu sangue, Sua vida (veja 1ª Pedro 1:18, 19). Os falsos mestres negaram seu Mestre, repudiando Sua propriedade. Isto fizeram por sua conduta licenciosa, retornando à escravidão do pecado.
Os falsos mestres afirmam ser libertos e esclarecidos. Para eles, Jesus era o mensageiro do reino da luz que veio despertá-los para sua verdadeira natureza, para ajudá-los a descobrir o seu verdadeiro eu. Ele não veio para morrer, mas para informar, para revelar o grande conhecimento. Ele não era seu Mestre, e eles não eram Seus escravos. Em vez disso, eles tinham a centelha da divindade em si mesmos, assim como Jesus. Não estavam ligados por nenhuma ordem. Tal era o seu evangelho, e era atraente. Pedro diz que eles negaram o Mestre que os havia comprado pelo preço mais alto imaginável e, portanto, os possuía. O resultado de sua impertinência seria "repentina perdição" (2ª Pedro 2: 1) — o juízo (*ú.p. do verso 4), mesmo que eles também negassem que um julgamento acontecesse
Os falsos mesteres eram populares  "Muitos seguirão as suas dissoluções" (2ª Pedro 2: 2) — e a imoralidade deles e a de seus seguidores levaram "o caminho da verdade", significando o cristianismo, "ao descrédito".
Pedro diz que uma motivação importante dos falsos mestres é a ganância — uma cobiça por dinheiro, sexo e poder (vs. 3). (*literalmente lemos neste verso: “farão de vós negócio com palavras fingidas”). Esses mestres eram especialmente habilidosos para atrair mulheres (2ª Tim. 3: 6), controlando suas mentes, suas bolsas, seus corações e seus corpos. (*“Se introduzem pelas casas, e levam cativas mulheres néscias carregadas de pecados, levadas de várias concupiscências,” ú.p. do verso).
Como eles fizeram isso? Com histórias que inventaram (2ª Pedro 2: 3), ou seja, doutrinas fabricadas. As mulheres e os homens sensíveis estavam angustiados e deprimidos por um mundo rude e opressivo. Os falsos mestres alegavam dar a explicação do porquê as coisas serem como eram e como ser libertos delas. Diziam que tinham o verdadeiro evangelho, uma boa nova que poderia restaurar a imagem própria e autoestima de pessoas que se sentiam desvalorizadas pelo sistema. As pessoas estavam mais do que dispostas a pagar para se tornar um dos dignos.
Mas os mensageiros de 1888 (E. J. Wagoner e A. T. Jones) contrariaram esses ensinamentos com uma nova compreensão libertadora da justificação pela fé:
1º) Faz com que o crente se torne obediente à lei de Deus, não erradicando sua natureza pecaminosa, mas permitindo que ele triunfe sobre ela: "Deus justifica os ímpios ... Isso não significa que Ele dê uma lustrada nas falhas do homem, de modo que ele seja considerado justo, embora ele seja realmente perverso, mas isso significa que Ele faz desse homem um cumpridor da lei. No momento em que Deus declara um homem ímpio justo, nesse instante o homem é cumpridor da lei. ... Assim se vê, portanto, que não pode haver um estado mais elevado que o da justificação. Faz tudo o que Deus pode fazer por um homem exceto o tornar imortal, o que se realizará somente na ressurreição. ... Fé e submissão a Deus devem ser exercidas continuamente, a fim de reter a justiça — para continuar a ser um cumpridor da lei".1
2º) A fé salvadora é uma apreciação do coração pelo sacrifício de Cristo: "Neste fato abençoado da crucificação do Senhor Jesus, que foi cumprido por toda alma, não somente estão estabelecidos os fundamentos da fé para toda alma, mas é dado o dom da fé a toda alma. E assim a cruz de Cristo é ... o próprio poder de Deus manifestado para nos livrar de todo pecado e nos levar a Deus".2
3º) A verdadeira justificação pela fé não tem sentido, se não for apreciado quão próximo Cristo veio a nós: "Não há elemento de fraqueza na lei, a fraqueza está na carne. Não é pela inexistência de uma boa ferramenta que não se possa fazer um apoio adequado de uma vara podre ... Pobre, o homem caído não tinha força em sua carne para habilitá-lo a guardar a lei. E assim Deus imputa aos crentes a justiça de Cristo, que foi feito à semelhança de Carne pecaminosa, para que "a justiça da lei" possa ser cumprida em suas vidas ... Cristo tomou sobre Si mesmo a natureza do homem, e transmitirá a Sua própria justiça a quem aceita o Seu sacrifício".3 (*Como suficiente para salvá-lo).
4º) Esta mensagem especial e inigualável foi destinada pelo Senhor para preparar Seu povo para a trasladação: o que significa, então, esta mensagem especial de justificação que Deus enviou para a igreja e para o mundo? ... Esta mensagem especial de justificação que Deus nos enviou é preparar-nos para a glorificação na vinda do Senhor. Nisto, Deus está nos dando o mais forte sinal que Lhe é possível dar, que a próxima coisa é a vinda do Senhor.4
A mensagem de 1888 atravessou séculos de neblina numa visão mais clara da verdade do Novo Testamento iluminada pelo sol.
Deus convida você a chegar a Ele e resolver a questão de uma vez por todas, de modo que sua mente e coração sejam claros e seus pés se estabeleçam na pedra sólida. Davi disse: "Esperei com paciência no Senhor, e Ele Se inclinou para mim, e ouviu o meu clamor. Tirou-me de um lago horrível, dum charco de lodo, pôs os meus pés sobre uma rocha, e firmou os meus passos" (Salmo 40: 1, 2).
Dê a Deus um dia de sua vida (de joelhos, se possível) e leia com oração uma autêntica tradução da própria Bíblia (não paráfrases ou comentários), e deixe o nevoeiro ficar fora de sua mente e coração. Faça a sua escolha para acreditar em quão boa é a Boa Nova. Não fique orgulhoso e tire conclusões; Teste e volte a testar suas convicções. Podemos confiar na Bíblia! Basta lê-la com simples senso comum.
Extraído principalmente dos escritos de Roberto Wieland
____________________________

Notas:

1) E. J. Waggoner, Signs of the Times, 1º de maio de 1893.                    

2) A. T. Jones, Review and Herald, 24 de outubro de 1899.                          

3) E. J. Waggoner, Bible Echo, 15 de fevereiro de 1892.                               

4) A. T. Jones, Boletim da Associação Geral de1895, pág. 367.               
____________________________
 Biografia do autor, Pr. Roberto Wieland:             
O irmão Roberto J. Wieland foi um pastor adventista, a vida inteira, missionário na África, em Nairobe e Kenia. É autor de inúmeros livros. Foi consultor editorial adventista do Sétimo Dia para a África. Ele deu sua vida por Cristo na África. Desde que foi jubilado, até sua morte, em julho de 2011, aos 95 anos, viveu na Califórnia, EUA, onde ainda era atuante na sua igreja local. Ele é autor de dezenas de livros. Em 1950 ele e o pastor Donald K. Short, também missionário na África, em uma das férias deles nos Estados Unidos, pediram à Associação Geral que fossem publicadas todas as matérias de Ellen G. White sobre 1888. 38 anos depois, em 1988, a Associação Geral atendeu o pedido, o que resultou na publicação de 4 volumes com um total de 1821 páginas tamanho A4, com o título Materiais de Ellen G. White sobre 1888.
Asteriscos (*) indicam acréscimos do tradutor.
____________________________

Sugestões para leitura suplementar:                                     

1. Robert J. Wieland e Donald K. Short, 1888 Re-examinado, capítulo 9, "Uma Falsa Justificação pela Fé: Semeando a semente da apostasia, pág. 100ff.  Sowing the Seed of Apostasy," p. 100ff.

2. Robert J. Wieland, Grace on Trial (Graça em julgamento): The Heartwarming Message the Lord "Sent" to Us in 1888 (A Mensagem do Senhor que Aquece Corações, Envida a nós em 1888) capítulo 6, "If You Can't Understand It, It's Not the Gospel," (Se você não pode entendê-lo, Não é o Evangelho p. 65ff.

Notas:                                                                     
Veja, em inglês, o vídeo desta 11ª lição do 2º trimestre de 2017, exposta pelo Pr. Paulo Penno, na internet, no sitio: https://youtu.be/YifHRmCpzM8

Esta lição está na internet, em inglês, no sitio: 1888message.org/sst.htm
____________________________

segunda-feira, 29 de maio de 2017

Lição 10 — Profecia e as Escrituras



Para 27 de maio 3 de junho de 2017

Para muitos cristãos fracos, a segunda vinda de Jesus está se afastando cada vez mais para o pano de fundo. Para eles o retorno de Jesus está sendo eclipsado pela escuridão do mundo.
O apóstolo Pedro apresenta duas razões profundas pelas quais "a virtude (*o poder) e a vinda de nosso Senhor" não são "fábulas artificalmente compostas” (2ª Pedro 1:16, a KJV diz: “inventadas com astúcia"). A confirmação a Pedro sobre a vinda de Cristo veio quando Deus falou no Monte da Transfiguração: "Este é o Meu amado Filho, em quem Me comprazo" (Mateus 17: 5). Este foi um prenúncio da vinda de Cristo na glória de Seu Pai. Na transfiguração os apóstolos viram com seus olhos em miniatura, e ouviram com seus ouvidos, uma previsão profética da vinda de Cristo. "A transfiguração representa para nós, como aconteceu com os apóstolos, uma promessa segura da segunda vinda de Cristo em poder e grande glória. ..."1
Mas há outra evidência da vinda de Cristo, e essa é a "mui firme palavra dos profetas" (*2ª Pedro 1:19) porque é falada pelo Espírito de Deus. "É possível que os olhos ou ouvidos de uma pessoa o enganem, mas não há possibilidade de dúvida em relação à profecia. E por que não? Porque não veio ‘por vontade de homem algum, mas os homens santos de Deus falaram inspirados pelo Espírito Santo’ (*2ª Pedro 1:21). A profecia, portanto, é tão confiável como Deus mesmo. Há muito poucas coisas nesta vida sobre as quais podemos depender implicitamente; quão alegremente, então, devemos receber esta palavra certa, e quão ansiosamente devemos procurá-la".2
Pedro usa a analogia de uma luz que brilha em um lugar escuro; estamos na escuridão até o dia amanhecer. Mas não podemos entender a "a firme palavra da profecia" (*2ª Pedro 1: 19) até que ela penetre em nossos corações como o amanhecer do dia em que a estrela da manhã deve surgir em nossos corações e iluminar o caráter de glória de Deus para nós.
A era atual é chamada de noite. Paulo diz: "A noite é passada, o dia é chegado. Rejeitemos, pois, as obras das trevas, e vistamo-nos das armas da luz" (Romanos 13:12). E isso ele diz em vista do fato de que é tempo de despertar do sono, porque nossa salvação está próxima. "A aurora do dia e o nascimento da Estrela da manhã, referem-se à vinda de Cristo, que é "a resplandecente Estrela da Manhã" (Apocalipse 22:16)."3
Logo antes da vinda do Senhor, Sua Palavra deve ser proclamada, e Sua vida deve ser manifestada, até certo ponto e com um poder nunca antes conhecido. Este será o brilho da Estrela da Manhã, que dará início ao dia perfeito, quando "o Sol da Justiça" (*Mal. 4:2) brilhará sobre toda a terra, e "a terra se encherá do conhecimento do Senhor, como as águas cobrem o mar" (Isaías 11: 9).
Cristo não pode vir até que o poder e o amor de Deus tenham sido demonstrados na vida de Seus seguidores no mesmo grau que em Sua própria vida. Deus mostrará por meio da igreja, isto é, todos os verdadeiros crentes em Jesus, Seu poder de operar a perfeita justiça nos mortais pecadores, realizando assim uma obra ainda maior do que a que Satanás se propôs a derrubar.
Em seu capítulo 60, Isaías está muito feliz por escrever sobre o tempo em que a terra será saturada com uma "luz" especial da "verdade do evangelho". Ele diz ao povo de Deus: "Levanta-te, resplandece, porque vem a tua luz, e a glória do Senhor vai nascendo sobre ti" (v. 1). Geralmente pensamos nisso como o momento em que teremos mais estações de rádio e televisão, maior tecnologia para aumentar o volume, então todas as pessos no mundo vão finalmente ouvir o que tem sido a nossa compreensão tradicional da mensagem.4
Há uma "grande voz" idêntica em Apocalipse 14:9 (* “voz do céu”) 18:1-4 que caracteriza o último ministério ganhador de almas de todos os tempos. Será um nível de ruído maior que vai chamar a atenção do mundo? Conversamos, oramos e cantamos sobre ele por gerações. Assumimos que será um sucesso glorioso e triunfante para a igreja, para validar todos os nossos labores passados? Milhões de pessoas que "dormem em Jesus" (*1ª Tess. 4:14) sonharam em viver naqueles dias imponentes quando a terra será "iluminada com a Sua Glória" (*Apoc. 18:1).
                                             
Mas espere um pouco: a Bíblia não está falando de um aumento do nível de ruído, mas de uma "luz" aumentada. Deve ser uma compreensão mais clara do que Paulo repetidamente chama de "a verdade do evangelho" (Gálatas 2: 5, 14) . Jesus disse: "Conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará" (João 8:32). Maior luz na compreensão do evangelho da justiça pela fé traz essa liberdade.
Mas se alguém se sentir "rico sou, e estou enrriquecido” (*Apoc. 3:17, *a KJV diz: “aumentado com bens") em sua compreensão da mensagem, poderia significar que ele não tenha "fome e sede de justiça" (veja Mateus 5: 6). O emocionalismo pode ser facilmente confundido com a verdade. A "glória" mencionada em Isaías 60:2 e Apocalipse 18:1-4 será uma compreensão mais clara da justificação pela fé. Nós não queremos ser cegos à luz quando o Senhor a envia como os judeus eram cegos para o seu Messias quando Ele veio. Você pode "seguir" a Jesus somente se "tomar" a sua cruz diariamente (Lucas 9:23) "para ser" “crucificado com Ele" (Gálatas 2:20).
A Escritura profetiza uma proclamação mundial da pura verdade do evangelho. Nós a conhecemos como a mensagem de 1888. "A terra se encherá do conhecimento da glória do Senhor, como as águas cobrem o mar" (Hab. 2:14). "Sairão de Jerusalém águas vivas" (Zac. 14: 8). "Levanta-te, resplandece, porque vem a tua luz, e a glória do Senhor vai nascendo sobre ti. Porque eis que as trevas cobriram a terra, e ... os gentios caminharão à tua luz, e os reis ao resplendor que te nasceu" (Isaías 60: 1-3). "Nos últimos dias, ... diz Deus, ... do Meu Espírito derramarei sobre os Meus servos e as Minhas servas naqueles dias" (Atos 2:17, 18). "Vi descer do céu outro anjo, que tinha grande poder, e a terra foi iluminada com a sua glória” (Apocalipse 18: 1). Esta é uma grande boa nova!

Paul E. Penno

________________________
Notas finais                                                                                                   
1) E. J. Waggoner, “Prophetic Lights” (Luzes Proféticas) (1888), pág 30.

2) E. J. Waggoner, “The Sure Word” (A Mui Firme Palavra) The Signs of the Times (15 de Fev. de 1883), pág. 77.

3) E. J. Waggoner, “Testimony of the Centuries. The Sure Word,” (Testemunhos para os Séculos. A Mui Firme Palavra) The Present Truth (20 de Dez. de 1894), pág. 803.
*Cuidado com Isaias 14:12. No original nos é dito: “Como caíste desde o céu, ó Lucifer ...” Mas de alguma forma alguns tradutores foram levados e empregar, em lugar do nome Lúcifer, a expressão “Estrela da manhã”, que, como vimos, é um dos nomes de Cristo, nunca de Satanás.

4) Nota do tradutor: Veja http://dialdailybread.blogspot.com.br/2015/02/dial-daily-bread-last-soul-winning.html?m=0 O artigo “O Último ministério de Ganhar Almas de Todos os Tempos” de Robert J. Wieland, da série "Dial Daily Bread" Pão diário 19 de Junho de 2004.
________________________

Notas:                                                                    
Veja, em inglês, o vídeo desta 10ª lição do 2º trimestre de 2017, exposta pelo Pr. Paulo Penno, na internet, no sitio: https://youtu.be/Nzt2RcIi6Mc

Esta lição está na internet, em inglês, no sitio: 1888message.org/sst.htm
________________________
Paulo Penno foi pastor evangelista da igreja adventista na cidade de Hayward, na Califórnia, EUA, da Associação Norte Californiana da IASD, localizada no endereço 26400, Gading Road, Hayward, Telefone: 001 XX (510) 782-3422. Ele foi ordenado ao ministério há 38 anos. Após o curso de teologia ele fez mestrado na Universidade de Andrews. Recentemente ele preparou uma extensiva antologia dos escritos de Alonzo T. Jones e Ellet J. Waggoner, a qual está incluída na Compreensiva Pesquisa dos Escritos de Ellen G. White. Recentemente também ele escreveu o livro “O Calvário no Sinai: A Lei e os Concertos na História da Igreja Adventista do 7º Dia,” e, ao longo dos anos, escreveu muitos artigos sobre vários conceitos da mensagem de 1888. Ele foi jubilado em julho de 2016. O pai dele, Paul Penno foi também pastor da igreja adventista, assim nós usualmente escrevemos seu nome: Paul E. Penno Junior. Ele foi o principal orador do seminário “Elias, convertendo corações”, nos dias 6 e 7 de fevereiro de 2015, realizado na igreja adventista Valley Center Seventh-day Adventist Church localizada no endereço: 14919 Fruitvale Road, Valley Center, Califórnia.
Atenção, asteriscos (*…) indicam acréscimos do tradutor.
________________________